Enfisema

O que é enfisema? Enfisema é um tipo de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) onde os tecidos pulmonares ficam danificados e esticados, causando tosse crônica e dificuldades em respirar. Ao longo do tempo, as paredes internas dos alvéolos enfraquecem e posteriormente rompem, criando maiores espaços de ar. Isso reduz a área superficial dos pulmões e, por consequência, a quantidade de oxigênio que atinge a corrente sanguínea.

Em 80% dos casos de enfisema, o tabaco é o principal agente causador, contudo, a doença também pode ser genética. A má notícia é que esse mal é incurável, contudo, ainda que a capacidade de respirar corretamente não possa ser totalmente recuperada, existem tratamentos que podem retardar a progressão da DPOC e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Sintomas

Muitos dos pacientes dizem não sentir sintomas algum por longos períodos, mas depois de algum tempo, os dois principais sintomas aparecem: falta de ar e tosse crônica. Isso pode começar apenas durante atividades físicas, contudo, conforme a doença progride, as manifestações pioram e acontecem até mesmo quando o indivíduo está descansando.

Nos estágios seguintes, a pessoa pode apresentar:

  • Infecções pulmonares;
  • Muco;
  • Chiado no peito;
  • Perda de apetite e peso;
  • Fadiga;
  • Fraqueza;
  • Lábios ou unhas azuis;
  • Ansiedade e depressão;
  • Falta de sono;
  • Dores de cabeça matinais devido à falta de oxigênio.

Causas

Como dito anteriormente, a principal causa do enfisema é o uso do tabaco, porém, há outras possíveis causas:

  • Abuso de maconha;
  • Poluição do ar;
  • Fumaça química e poeiras;
  • Deficiência hereditária – é raro, mas acontece (é chamado de enfisema de deficiência de alfa-1-antitripsina).

Complicações

Pessoas que têm enfisema também são propensas a desenvolver:

  1. Pneumotórax. Um pulmão colapsado que pode ameaçar a vida em pessoas com enfisema grave, já que a função de seus pulmões já está comprometida. Isso é incomum, mas grave quando ocorre.
  2. Problemas cardíacos. O enfisema pode aumentar a pressão nas artérias que conectam o coração e os pulmões. Isso pode causar uma condição chamada cor pulmonale, na qual uma seção do coração se expande e enfraquece.
  3. Grandes orifícios nos pulmões. Algumas pessoas com enfisema desenvolvem espaços vazios nos pulmões chamados bullae, que podem ser tão grandes quanto a metade do pulmão. Além de reduzir a quantidade de espaço disponível para expandir o pulmão, bullae gigante pode aumentar seu risco de pneumotórax.

Prevenção

Para evitar o enfisema, não fume e evite o fumo passivo. Use máscara para proteger seus pulmões se você trabalha com fumaça química ou pó.

Tratamentos naturais

Como dito anteriormente, o enfisema é uma doença incurável, contudo, o tratamento é capaz de melhorar a qualidade de vida do paciente.

Exercício freno labial

Basta inspirar profundamente e soltar o ar pela boca com os dentes entreabertos e os lábios semicerrados de forma a movimentá-los com o ar que sai pela boca.

Este simples exercício fortalece os músculos expiratórios e ajuda a eliminar completamente o ar dos pulmões, permitindo que mais oxigênio entre na inspiração seguinte. Aconselha-se que o exercício seja orientado por um fisioterapeuta.

Inalação de óleos

Inale regularmente óleos de aromaterapia como o de eucalipto, hissopo, pinho ou alecrim. Para isso, você deve ferver uma bacia de água e adicionar algumas gotas dos óleos essenciais mencionados.

Banho

Banho de tomilho, na razão de 100 gramas de tomilho para ½ litro de água, em infusão que se adiciona à água do banho. Este remédio tem ação antiespasmódica, fluidificante sobre as secreções, expectorante e fortemente antisséptica que se manifesta especialmente nos órgãos respiratórios. O tomilho é, portanto, um excelente remédio, não apenas em casos de enfisema, mas também de tosse convulsa e bronquite.

Nota: vale destacar que os tratamentos aqui informados NÃO substituem o acompanhamento médico e mulheres grávidas devem tomar cuidado redobrado antes de ingerir qualquer tipo de substância. Consulte um especialista.   

 

 

Deixe um comentário