17 alimentos probióticos saudáveis ao intestino

Publicado em 3 de julho de 2017 por

Há uma guerra ocorrendo em seu intestino e os mocinhos podem estar perdendo. Já é hora de chamar reforços para ajudar na frente de batalha e levar de volta a boa saúde intestinal que você merece.

Anos de uso de antibióticos (seja por prescrição de drogas ou por hábitos alimentares), ingestão de alimentos carregados de açúcar, e o baixo consumo de fibras alimentares estão fazendo seu corpo acumular mais gordura, mas não pela razão que você pensa. Este padrão de consumo de drogas e de má alimentação também tem armado as bactérias más que vivem em seu intestino com as armas de que precisam para ultrapassar as boas. E quando suas boas bactérias intestinais estão esgotadas, elas não apenas não serão capazes de afastar a inflamação indutora de peso, como também não poderão ajudá-lo a manter seu metabolismo em bom funcionamento, seu sistema imunológico saudável e sua mente afiada.

Pesquisas apontam que os nossos micróbios intestinais desempenham um papel significativo na regulação de nossa saúde e peso. Além disso, sugeriram maneiras de consertar esse desequilíbrio: comer alimentos probióticos e cortar açúcares. É possível que você tenha ouvido falar de probióticos antes. Abaixo pode conferir de que se trata.

Os probióticos são culturas bacterianas vivas que consumimos em alimentos fermentados. São chamados de “pro”, porque crê-se que eles sejam benéficos para a nossa saúde, embora a ciência por trás disso ainda tenha que provar como. Um mecanismo possível, descrito por um resumo no Jornal Gut, é que os probióticos ajudam a reequilibrar as bactérias benignas ao intestino, criando um ambiente onde elas podem recuperar a força.

Outros estudos descobriram que os probióticos podem ajudar a aliviar os sintomas da Síndrome do Intestino Irritável e da Doença Inflamatória Intestinal, eczema, diarreia infecciosa e podem ajudar a prevenir alergias e resfriados. O principal ingrediente listado como probiótico normalmente é iogurte, mas fontes probióticas vão muito além do café da manhã. Aqui estão algumas das melhores fontes de probióticos naturais que você pode consumir para fazer com que seu intestino fique saudável e para ganhar a batalha de uma vez por todas:

Chocolate escuro

Chocolate escuro é como conseguir um super heróis e um salto de fé em apenas uma barra. Isso se deve ao fato de o chocolate ser uma fonte de probióticos e probióticos. Prebióticos são a fonte de alimento dos micróbios no seu intestino, que converte o doce em componentes anti-inflamatórios. Os probióticos colonizarão o intestino para ajudar com a digestão e com o fortalecimento dos micróbios benignos. A razão? O chocolate, na verdade, é um alimento fermentado. Para aproveitar os benefícios, pesquisadores recomendam um conteúdo de cacau de 70% ou mais ou o consumo de aproximadamente duas colheres de pó de cacau ou um quadrado da barra.

Publicidade

Iogurte grego

O probiótico mais popular é feito ao adicionar duas culturas de bactérias (Streptococcus thermophilus e Lactobacillus bulgaricus) em leite pasteurizado. O leite engrossa pelo efeito do ácido lático que é produzido pelas bactérias e se torna um produto cremoso. Ainda que a maioria dos iogurtes gregos sejam uma fonte confiável de proteínas, nem todos fornecem probióticos. Alguns produtos são térmicamente tratados após a fermentação, o que normalmente mata a maior parte das culturas ativas. Certifique-se de ler no rótulo “bactérias vivas ativas”. Fique longe daqueles que passaram por adição de açúcar que farão mais mal do que bem às bactérias.

Ervilhas

Estudos mostram que ervilhas contêm Leuconostoc mesenteroides, um potente probiótico frequentemente associado à fermentação em condições de baixas temperaturas. Os micróbios estimulam o sistema imune, ajudando a proteger a barreira mucosa que percorre o trato digestivo e é a primeira linha de defesa contra bactérias maléficas e toxinas. Passe as enlatadas, mas adiciona as frescas a massas, saladas e omeltes.

Chucrute

Não deixe que a relação com cachorro-quente interfira na sua opinião sobre este alimento. O chucrute é repolho lacto-fermentado e contém componentes naturais que possuem propriedades que combatem o câncer e o emagrecimento. Quando não pasteurizado, o chucrute é –ainda mais que o iogurte–rico em Lactobacillus, que melhoram a saúde da flora intestinal e ajuda o sistema imune, até mesmo melhorando a saúde geral. Novamente, examine o rótulos antes de escolher um produto para propósitos de uso dos probióticos.

        Kombucha

Kombucha é uma bebida fermentada ligeiramente efervescente feita com chá preto ou verde e uma cultura simbiótica de bactérias e leveduras, conhecida como SCOBY. Este alimento funcional só irá transmitir seus benefícios probióticos se não for pasteurizado, o que significa que quanto maior o tempo entre quando está na prateleira e quando chega à sua boca, maior o risco de contaminação. Em fato, as bebidas não-pasteurizadas de kombucha têm sido associadas a infecções bacterianas, reações alérgicas e danos ao fígado. Então, se você quer curar seu intestino, faça o seu próprio Kombicha em casa e beba dentro de poucos dias. Quanto às versões de prateleiras refrigeradas, só beba se você gosta do gosto, pois provavelmente não estará beneficiando sua barriga.

       Kimchi

Kimchi é um prato asiático vegetariano fermentado feito com repolho, rabanetes e cebolinhas. A cor vermelha vem de uma pasta temperada da pimenta vermelha, do camarão salgado, ou do pó do kelp. Pesquisadores da Universidade Kyung Hee, na Coreia, induziram a obesidade em ratos de laboratório, alimentando-os com uma dieta rica em gordura e, em seguida, dando-os Lactobacillus Brevis, a estirpe de cultura encontrada no kimchi. O probiótico suprimiu o aumento de peso induzido pela dieta em 28%.

    Cerveja e vinho

Estas não devem ser sua fonte favorita de probióticos, mas bebidas alcoólicas fermentadas como cerveja e vinho realmente podem fornecer alguns benefícios quando consumidos com moderação. As vitaminas do grão de cevada da qual a cerveja é feita sobrevive ao processo de fermentação e filtragem e pode levar a um bom colesterol e diminuir a formação de coágulos sanguíneos. E foi mostrado que o vinho pode ser uma fonte de antioxidantes de combate aos radicais livres.

    Azeitonas verdes

As azeitonas de salmoura salgada sofrem uma fermentação natural, e são os ácidos produzidos pelas bactérias do ácido láctico que são naturalmente presentes na azeitona que dão a estes pequenos frutos seu sabor distintivo. Duas cepas de culturas vivas, Lactobacillus plantarum e Lactobacillus pentosus, foram isoladas em azeitonas, e L. plantarum mostra um grande potencial para obter a saúde estomacal que você está procurando: esta cepa pode equilibrar seus micróbios intestinais e diminuir o inchaço, particularmente em pessoas portadoras da Síndrome do Intestino Irritável.

     Natto

Natto é um dos alimentos mais saudáveis para as mulheres e o motivo: este prato japonês de soja fermentada é a mais alta fonte de vitamina K2, uma vitamina que é importante para a saúde cardiovascular e óssea, bem como promove a elasticidade da pele para ajudar a prevenir rugas. Além disso, o natto é uma potente fonte de probióticos de cura intestinal. Um intestino saudável pode conter a inflamação, que os pesquisadores acreditam que pode afetar a saúde da nossa pele uma vez que muitos problemas como acne, eczema e psoríase provêm de inflamação.

Publicidade

     Kefir

Embora este bebida lática seja próxima iogurte, se você tem intolerância à lactose, ela pode ser uma de suas opções. Isso ocorre porque foi descoberto que o kefir neutraliza os efeitos da lactose no estômago: pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio descobriram que ingerir esta bebida fermentada pode reduzir o inchaço e o gás provocado pelo consumo de lactose em 70%. O que é ainda mais promissor sobre o kefir é que suas bactérias colonizam o trato intestinal, o que o torna ainda mais propenso a conferir seus benefícios de cura ao intestino.

     Picles

Picles são uma outra opção vegetariana fermentada clássica. Mas é importante saber que nem todos os vegetais em conserva são fermentados. A fim de obter os benefícios da ingestão de alimentos fermentados, tenha certeza de que o picles que você está comendo é, de fato, fermentado – e não apenas conservado.

     Miso

O miso é feito a partir da fermentação da soja com sal e koji –um fungo chamado Aspergillus oryzae. Não só é uma proteína completa (que significa que contém todos os 9 aminoácidos essenciais) porque vem da soja, mas também estimula o sistema digestivo, fortalece o sistema imunológico e reduz o risco de múltiplos cancros.

   Pão fermentado

O pão é feito a partir do processo de fermentação onde a levedura selvagem e as bactérias amigáveis quebram o glúten e açúcar na farinha de trigo, transformando-a em proteínas, vitaminas e minerais. O aspecto “azedo” é o sabor da levedura selvagem que vem do ar, e muitas vezes variam com base na localização. Porque os amidos dos grãos são pré-digeridos pelas bactérias, este pão é muito mais fácil digerir do que outros tipos de pães brancos processados.

    Beterraba Kvass

A tendência probiótica descobriu produtos praticamente desconhecidos para os mercados americanos, razão pela qual você provavelmente nunca ouviu falar de Kvass. Esta bebida originou-se na Rússia e é feita tradicionalmente de maneira similar a uma cerveja da fermentação mas com pão velho ao invés de cevada. Beterraba Kvass, por outro lado, utiliza beterraba como a fonte de amido e soro de leite para acelerar o processo de fermentação. Quanto mais tempo as beterrabas são deixadas para fermentar, mais desenvolvido será o sabor. A beterraba já é uma grande fonte de potássio e fibra dietética, de modo que fermentá-la amplifica ainda mais suas propriedades digestivas positivas.

    Queijo Cotagge

Como o iogurte, nem todos os queijos caseiros conterão culturas vivas e ativas. Embora os produtos lácteos sejam acompanhados de digestão lenta, proteína construtora de músculos e aumente a absorção de probióticos, esta opção pode não ser a sua melhor aposta: muitos queijos cottage estão cheios de sódio, que pode causar inchaço e aumentar o risco de hipertensão quando comido em excesso.

   Tempeh

Muitas vezes você vai ver o tempeh como a alternativa vegana ao bacon – e, acredite, é muito melhor para seu intestino. O tempeh é um produto de soja fermentado feito com um fermento tem textura de carne e sabor neutro. É uma opção aberta que aceita todos os tipos de tempero. Além dos benefícios ao ventre, uma dose padrão de 85g de tempeh possui 16 gramas de proteína e 8% do cálcio recomendado diariamente.

    Queijo mole, envelhecido

Muitos queijos são criados a partir da fermentação, mas nem todos eles são fonte de probióticos. Os queijos envelhecidos, macios –como cheddar, gouda, parmesão e suíço –são tipicamente os únicos tipos que manterão as bactérias benéficas. Estes queijos começam com a adição de uma cultura bacteriana de ácido láctico ao leite, que formará ácido láctico e fará com que o leite forme coalhada e soro. Quanto mais tempo o queijo envelhece, mais benéficas às bactérias se tornam ao intestino.

Compartilhe a natureza!

Deixe um comentário