Infecção Urinária

A infecção urinária é caracterizada pela presença de micro-organismos (bactérias ou fungos) na urina e pode ser desenvolvida em diferentes partes do sistema urinário. Hoje em dia, é uma doença corriqueira com mais de 2 milhões de casos por ano no Brasil, sendo que especialistas alegam que em 85% deles, o quadro é causado pela Escherichia coli – bactéria presente na flora intestinal.

Infecção Urinária. Vivernatural.com.br

Existem vários tipos de infecção, sendo que as principais são:

  1. Pielonefrite (quando a infecção é nos rins).
  2. Cistite (quando a infecção é na bexiga).
  3. Uretrite (quando a infecção é na uretra).

Pessoas com mais propensão à doença

A infecção urinária afeta, em sua maioria, mulheres. Estima-se que 50% das mulheres sofreram ou sofrerão desse mal (nos homens, apenas 10%).

Os principais fatores são:

  1. Anatômico: a curta distância entre o ânus e a uretra permite mais passagem de bactérias ao canal urinário, e, consequentemente, aumenta o risco de infecções. Além disso, a uretra feminina é reduzida em relação à dos homens, esse fator favorece a ascensão das bactérias.
  2. Métodos contraceptivos: mulheres que utilizam diafragmas são mais vulneráveis à infecção urinária. Por conta da utilização desse método aliado com gel espermicida – que causa alterações no pH e na flora vaginal – há maiores riscos de proliferação das bactérias.
  3. Idade: mulheres com mais de 19 anos – mais precisamente após a menopausa – tem maiores chances de contrair infecção urinária. Um dos motivos para isso é a baixa produção de muco vaginal [durante a menopausa] que faz com que o revestimento da uretra seja reduzido e, subsequentemente, os riscos de infecções como a cistite sejam aumentados.
  4. Fungos: a infecção urinária por fungos é quase sempre causada pela espécie Cândida, que afeta principalmente mulheres. A Cândida é a única espécie de fungo capaz de colonizar e causar doenças no trato urinário, além dela, outros fungos também possuem a habilidade de manifestar sintomas renais, porém, raramente causam infecções. Os principais fatores de riscos para a contração da Cândida são: comprometimento do sistema imunológico, utilização de antibióticos, banheiros sem higiene adequada, procedimentos cirúrgicos anteriores, sondas/cateteres, entre outros.

Sintomas

Os sintomas da infecção urinária variam com o “tipo” de infecção que o paciente desenvolve. Por exemplo, o indivíduo que tiver infecção na bexiga não terá febre, por outro lado, infecções no rim manifestarão esse sintoma. Segue a baixo os sintomas gerais de infecção urinária:

  • A febre alta é um dos primeiros sintomas aparentes, acompanhado de fraqueza, calafrios, sonolência e mal-estar.
  • Dor para urinar, ardência, incômodo ou queimação são sintomas comuns de quem está com uma infecção urinária.
  • Frequente vontade de urinar é outro indicativo comum para quem está com infecção urinária. A pessoa vai ao banheiro várias vezes ao dia, ao longo do tempo o volume da urina só diminui, mas existe a sensação constante de que há urina a ser eliminada.
  • Hematúria/ sangue na urina é um fator que, geralmente, não representa grandes riscos, mas assusta a maioria das pessoas.
  • Urina turva e com mau cheiro que, na maioria dos casos, se desenvolve pela alta concentração da urina, mas em alguns quadros pode ser sinal de bactérias.
  • Dores ou perda involuntária de urina e dores lombares leves ou intensas de um lado só, indicam infecção de urina.

Principais causas

O ato de urinar funciona como limpeza e lavagem constante da bexiga e paredes da uretra, segurar a urina cria um ambiente perfeito para a proliferação de bactérias e impede que o processo de lavagem aconteça, facilitando, assim, o desenvolvimento de bactérias.

Absorventes internos ou protetores de calcinha são opções para as mulheres que desejam manter a higiene no período menstrual, porém, quando sujos, facilitam o desenvolvimento de bactérias.

Pessoas com pedra nos rins tendem a ter infecções urinária, isso se deve pela presença das pedras, que por muitas vezes fazem com que as vias urinárias fiquem entupidas, e a urina não seja eliminada corretamente. Quando isso acontece, as bactérias têm mais tempo para se desenvolver e criar infecções.

Como prevenir infecção urinária com processos naturais?

Algumas prevenções naturais são fáceis e acessíveis:

Beber muito líquido – mais de 2 litros por dia – principalmente água, mel, chás e sucos naturais. Manter uma dieta equilibrada ao: adicionar algumas folhas (carqueja, casca de aroeira, alfazema, abacate, etc), frutas (abacate, abacaxi, mamão, uvas vermelhas, cranberry, etc) e verduras (principalmente batata, alho e cebola, alimentos ricos em vitamina C e salsa) à alimentação diária.

Ir ao banheiro quando sentir vontade e não esperar muito tempo.

Infecção Urinária. Vivernatural.com.br

Tratamento natural

Sucos:

Suco de Mirtilos: faça uma batida misturando duas xícaras de mirtilos frescos, uma fatia de melancia e meia xícara de cerejas. Beba de imediato.

Suco de Cereja: esquente meio quilo de cerejas – com os cabos – em banho-maria. Retire os caroços quando estiverem macias e coe o resto. Adicione uma colher de mel. Guarde em um frasco de vidro com tampa hermética e consuma duas colheres por dia.

Suco de maçã: descasque uma maçã, retire as sementes e corte-a em rodelas. Retire a casca de uma banana e corte-a em fatias. Misture tudo no liquidificador com um copo de água e beba, preferentemente em jejum.

Chás:

Chá da folha do abacateiro: coloque 10 folhas de abacateiro em 1 litro de água e deixe ferver por três minutos. Coe e beba. (É possível acrescentar mel à gosto).

Chá de Alfazema: ferva 1 litro de água e adicione 2 colheres de chá de folhas frescas de alfazema. Após o fervimento, deixe o recipiente tampado por cerca de 10 minutos. (É possível adicionar mel à gosto).

Chá de Carqueja: coloque 20 g de folhas de carqueja em um litro de água quente. Tampe e deixe esfriar. Coe e beba.

Nota: vale destacar que os tratamentos aqui informados NÃO substituem o acompanhamento médico. Consulte um especialista.

Deixe um comentário